Na minha vida não existia espaço para arrependimentos e desculpas.  Eu odiava ferir alguém. Tudo era milimetricamente  calculado. 

Elen Abreu

Minha flor murchou


Dói..dói todos os dias.
Há horas que parece que não vou aguentar
Permaneço muda, apática, sendo devorada por ela que me sucumbi
As vezes nada mais parece existir, quando ela encosta em mim e exala.
Feito faca pontiaguda me maltrata, apunhalando dia a pós dia o que me mata.

O maldito insisti em bater, eu não sei mais o que fazer
Euforia
Desgraça
Meu corpo não consigo ver, essa vida não pareço viver
Vejo meu filme dolorido que se passa diante dos meus olhos já tão úmidos, mas agora tão secos.
Como se eu tivesse de uma forma finalmente aprendido
A secar, secar nos amor e palavras.
O meu rio esvazou
Minha flor murchou
Nada mais tem graça

Se parar para pensar realmente nunca teve, era minha ilusão que durava segundos, minha felicidade era cronometrada, era só o agora, não tinha outro dia, não tinha retorno, eu sempre morria no sufoco.

Caminhando pelos buracos que insisto em cavar, só me perco mais
Só afundo mais
E a dor parece que era meu respirar, meus olhos, meu sorriso, meu corpo já cansado, minha voz e pele.
Já não me encontrava mais
Perdida entre me ser e sentir
Sentindo no corpo
Pagando cada milimetro que era habitar essa terra doentia

Eu era apenas uma das poucas garotas que ainda acreditava e com a  gente o universo
não conspirava a favor.

Fechava os olhos, me concentrava na minha única amiga eterna e verdadeira, essa mesma que me doía o peito.
Ou era ela, ou era eu.

Não tinha mais espaço, estava tudo bem apertado.
Eu disse Adeus
Não doeu tanto
Sabe aquele dor que de tanto doer adormece?
Não, não queria saber.

Só faço tenho um pedido a fazer: não magoe ninguém!

Realmente cicatrizes são caminhos sem volta.

Eu não queria acreditar.

Elen Abreu


Nossos olhos abertos para o amor



Vamos falar sobre o que ninguém mais fala. Vamos nos interessar naquilo que ninguém tem interesse. Vamos segurar nossas mãos discutindo algo que tenha sentido. Vamos falar sobre o que ninguém ver, vamos expor sentimentos, criar atitudes. Vamos perder o ar no nossa boca a boca noturno, na nossa pele que faísca, no nosso jeito desconcertado de tentar ajeitar o mundo. Vamos nos abraçar e pensar que nossa força pode mover montanhas. Por isso não vamos chorar, vamos aguentar firme. Você vai entender minha alegria nunca completa, e por conta disso, você vai me amar mais, vai amar o que me move, porque isso te move também. Então vamos repousar no colo um do outro, porque a nossa dor é mesma. Nós tiramos as vendas e isso de alguma forma nos juntou, mas temos que pagar o preço amor. Teremos nosso melhor sorriso, o abraço mais apertado. Mas antes de dormir aquela dor do lado, aquela dor dos outros. Que a gente alivia no nosso toque, no nosso mundo, longe deles, longe daqueles egos inflamados e mentes insanas. Vamos conversar e por conta disso nossos olhos brilharam diferentes, porque a gente completa a palavra um do outro. Você está cansado, eu também estou, você quer fugir e eu apenas seguro sua mão. Porque todo caminho é melhor que aqui. Você cheira bem e tem toque suave. Eu apenas crio raiz toda vez que você protesta, confunde, se revolta, não entende. Eu gosto desse teu jeito de não ficar parado, de tentar mudar as coisas. Eu fico boba por esse teu coração avassalador e do tamanho do mundo. Vamos sair de mãos dadas, vamos quebrar o sistema, você me beija no primeiro encontro e eu já te amo pro resto da vida. Vamos falar nossos medos, nossas vergonhas. Ou vamos simplesmente respirar, porque as vezes é só isso que eu preciso, saber que em algum lugar existe alguém como nós.  Vamos contar nossas histórias, as melhores, as piores. Vamos ser novas pessoas, não vamos nos perder em dor passadas. Vamos nos permitir amar aqui e agora, como se jamais alguém nos tivesse magoado.

Elen Abreu

Aos poetas



Pobres poetas, morreriam sozinhos. Todos os amavam, mas ninguém os tinham. Eles se doavam com uma imensidão, que causava desastre, repulsa em qualquer coração. Ninguém estava preparado para aguentar, era amor além da conta, ninguém conseguia suportar. Amavam por um, por dois, depois amavam por todos. Eu não conseguia entender. Como era possível tanto amor em um único ser? Comecei a escrever para assim os lembrar. Queria a memória deles eternizar. Pois cometerem um único crime, o crime de amar. E desse crime quero morrer, porque outra não consigo ser.

Elen Abreu

A minha pior dor é aquela que eu não consigo escrever.


Elen Abreu

Que saiba




Que saiba lidar com meu exagero
Que passe a amar a minha intensidade
Que precise da minha urgência e sede
Que também queria fechar tranquilo os olhos quando o sol se põe
Que nos bastemos e o resto do mundo seja mera invenção.

Elen Abreu

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...